Como fazer uma mudança de infraestrutura para a nuvem sem impactar o negócio | Safetec
(81) 3126-4100 cloud@safetec.com.br

Migrar todas as aplicações e dados corporativos de um sistema convencional para uma infraestrutura para a nuvem requer que diversos pontos sejam levados em consideração, dentre eles, os custos envolvidos, as ferramentas necessárias para a mudança de infraestrutura para nuvem e até mesmo questões de segurança.

Apesar de os antigos e onerosos datacenters não estarem totalmente em extinção, a computação em nuvem é uma opção interessante, que traz diversos benefícios para as empresas, como a sua agilidade, eficiência e custo-benefício.

O que se considerar antes de migrar para uma infraestrutura para a nuvem?

Dados e aplicações

Mesmo com toda a sua flexibilidade, nem todas as aplicações e dados são ideais para a nuvem, como, por exemplo, os sistemas legados e operações críticas da empresa.
Também é necessário avaliar a quantidade de recursos que cada uma das aplicações exige do sistema. A nuvem pública é um ambiente no qual há compartilhamento de recursos mais intenso. Por isso, mesmo com a sua escalabilidade, se houver altos picos de demanda, isso pode dificultar o desempenho de uma aplicação mais pesada.

Quais são os Custos?

Diversas empresas migram sua infraestrutura para a nuvem por uma questão de custo, já que não é necessário investir pesado em uma estrutura complexa de hardware nem ter despesas extras com TI.
No entanto, o custo-benefício é diferente para cada tipo de aplicação que a organização precisa. Os aplicativos móveis, por exemplo, que trabalham com níveis de demanda que oscilam de forma aleatória, geram um ROI (retorno sobre o investimento) maior quando há a transição para a nuvem.
Por outro lado, sistemas de software legados, como as versões anteriores de banco de dados Oracle geram um custo mais alto para serem executadas na nuvem. Justamente por isso, é preciso analisar caso a caso para estudar a viabilidade financeira da transição para a nuvem.

O tipo de nuvem

Escolher o tipo de nuvem certo para a organização é extremamente importante. Quando feita sem erros, essa escolha garante resultados excelentes, mas, quando realizada de forma amadora, gera frustração e gastos.
Mesmo com os benefícios da nuvem pública, empresas ligadas a ambientes regulamentados, como serviços de saúde ou financeiros precisam contar com proteção e controle total de seus dados, o que pode inviabilizar os benefícios da public cloud para determinados setores.
Já as nuvens privadas oferecem aos gestores, diretores e donos de negócio um maior controle de todo o ambiente corporativo. Mas, ao contrário das empresas que utilizam a nuvem pública, os usuários da private cloud são responsáveis pelo seu monitoramento e desempenho. Ou seja, a organização tem controle e total responsabilidade sobre seus dados neste tipo de infraestrutura.
A nuvem híbrida, apesar de mesclar o melhor dos dois tipos de nuvem anteriores com compartilhamento de informações entre elas, conta com possíveis problemas, como latência e desempenho. Porém, um cloud broker pode corrigir as possíveis falhas da hybrid cloud, para garantir toda a segurança e eficiência que esse tipo de nuvem pode oferecer.

Governança

A mudança de uma infraestrutura para a nuvem muitas vezes pode interromper ou alterar a governança de uma corporação. No caso dos métodos de governança empresarial mais tradicionais, provavelmente migrar para a nuvem será um processo complicado, já que o controle corporativo acaba diminuindo e a responsabilidade sobre dados importantes e aplicações acaba recaindo nos provedores cloud.
Por isso, é importante que as corporações moldem suas estratégias de governança, para que se dependa menos do controle interno seja possível aproveitar melhor as facilidades do provedor de nuvem.

A segurança é garantida

Já as preocupações com a segurança de dados corporativos e sigilosos são um impedimento para que muitas empresas façam a mudança da infraestrutura para a nuvem.  
Por isso, é essencial que as organizações avaliem as opções e serviços de segurança oferecidos por cada provedor cloud e planejar antecipadamente ações no caso de falhas e disaster recovery (recuperação de desastres), de forma a garantir a privacidade das informações, mesmo com altas demandas ou em situações críticas, para que a empresa possa aproveitar todos os benefícios que a computação em nuvem pode oferecer.

Estratégia de mudança de infraestrutura para nuvem

Depois de considerar seus dados, demandas, custos e segurança no processo de migração para a nuvem, chega a hora de pensar em um plano de migração.
O mais indicado é que todo o processo seja realizado de forma gradual, para que a transição seja harmônica e traga todos os seus benefícios para a organização. Ir para a nuvem não é nada pesado nem complicado, mas exige atenção aos detalhes.
Ainda tem dúvidas de como migrar a sua infraestrutura para a nuvem? Então contate a Safetec e encontre todo o suporte que precisa!
 

Saiba mais