Arquitetura de nuvem: conheça as 3 camadas e os 3 tipos
(81) 3126-4100 cloud@safetec.com.br

A arquitetura de nuvem é a forma ideal como se define e configura um modelo específico de interação funcional das chamadas camadas da nuvem divididas em 3 níveis, IaaS, PaaS e SaaS – para que se atinjam os objetivos desejados pela organização que está criando um sistema em nuvem.

As camadas citadas são consideradas abstrações, que são usadas para que gestores, desenvolvedores, arquitetos e outros envolvidos em um projeto de arquitetura e desenvolvimento em nuvem possam articular suas ideias, planejar ações e avaliar as decisões tomadas.

Nesta postagem, vamos esclarecer mais detalhes de cada uma das 3 camadas da arquitetura em nuvem, além de explicitar e definir os 3 tipos de nuvem mais usados.

CTA-O-que-você-precisa-saber-sobre-cloud-computing-no-brasil-e-no-mundo

Saiba mais: Como fazer uma mudança de infraestrutura para a nuvem sem impactar o negócio

As 3 camadas da arquitetura de nuvem

Quando se planeja a arquitetura e o desenvolvimento em nuvem de um sistema, as camadas da nuvem são usadas de modo figurado, da mesma forma que usamos metáforas em nosso dia a dia para explicarmos melhor e com mais clareza o que desejamos transmitir a outras pessoas.

Repare que as 3 siglas se referem a um serviço (usualmente cobrado por período) que, dependendo do nível e modelo de utilização, envolve diferentes objetivos e funcionalidades.

Veja mais detalhes sobre cada uma das camadas da arquitetura da nuvem e suas vantagens:

IaaS: Infrastructure as a Service

Significa Infraestrutura como um Serviço e engloba os hardwares, como componentes de rede, discos, dispositivos de armazenamento, servidores e outros elementos físicos do sistema.

Nesta camada da arquitetura de nuvem o cliente ou usuário aproveita esta infraestrutura física fornecida para controlar sistemas operacionais, armazenar arquivos e aplicativos.

PaaS: Platform as a Service

Plataforma como um Serviço. Aqui a arquitetura e desenvolvimento em nuvem trata da plataforma, isto é: a estrutura de aplicativo e os sistemas operacionais acessados.

Na verdade, seria a maneira de viabilizar aplicativos na nuvem empregando as ferramentas e as linguagens compatíveis com os padrões da empresa que oferece o serviço.

É um serviço sob medida para pequenas empresas que desenvolvem softwares,

SaaS: Software as a Service

O nível de arquitetura de nuvem chamado de Software as a Service é aquele com o qual você interage quando usa o Google Apps ou mesmo o Facebook e o LinkedIn.

É nesta camada que os aplicativos desenvolvidos são disponibilizados aos clientes finais, com ou sem cobrança de taxas pelo serviço, dependendo do seu nível de sofisticação ou modelo de monetização.

Veja mais: Por que ferramentas como o Google Apps podem melhorar sua empresa?

Tipos de nuvens

Agora que você já entendeu os níveis de arquitetura de nuvem, conheça seus 3 tipos.

Nuvens púbicas

Liberadas para o acesso de qualquer um, ou ao menos disponíveis para aqueles que aceitarem seus termos de uso, pertencem a empresas que comercializam serviços de nuvem usando a infraestrutura da internet para capilarizar a distribuição e o uso de seus aplicativos.

Nuvens privadas

Protegidas por medidas de segurança, como firewalls, as nuvens privadas são para o uso interno de corporações que não querem arriscar que seus dados e informações sigilosas fiquem vulneráveis.

No fundo, é o mesmo esquema de uma nuvem pública, mas restrita aos membros de uma organização.

Nuvens híbridas

Como o próprio nome diz, trata-se de uma mistura dos dois conceitos anteriores. Os serviços estão compartilhados entre espaços públicos e privados e as responsabilidades de gestão são divididas da mesma forma.

Veja também: Qual o melhor armazenamento em nuvem para sua empresa?

Podemos concluir que a arquitetura em nuvem deve determinar como combinar cada um desses elementos citados para definir o melhor desempenho do sistema ou do negócio que se quer estruturar, integrando da melhor forma cada uma das camadas.

Uma boa arquitetura e desenvolvimento em nuvem não pode ser interpretada simplesmente como a integração de diversos servidores. É necessário promover a gestão dos fluxos de informação, com monitoramento constante, mediadas de segurança e a garantida da capacidade de atender aos usuários sem interrupções.

Nesse contexto a Safetec proporciona um serviço de consultoria especializado para que as empresas e organizações de diversos segmentos e portes possam usar a nuvem da melhor forma possível, trazendo mais produtividade e eficiência a seus negócios.

Um exemplo de como o cloud computing pode impactar favoravelmente uma empresa é o caso de nosso cliente, o Grupo Julietto, da área de fast-food, e que conta com diversas marcas no mercado. Veja mais detalhes de como a Safetec ajudou essa empresa a implementar uma solução em nuvem com grandes benefícios para seus negócios. Confira: CASE Grupo Julietto.

Saiba mais